Legado Franciscano:
Contribuição dos freis capuchinhos na educação de filhos de migrantes italianos no Rio Grande do Sul (1950–1970)

Legado FranciscanoAutor: Dinarte Belato (redator) et al.
ISBN: 978-85-65527-17-0
Ano de publicação: 2016
Formato: ebook (pdf)


RESUMO
“Legado Franciscano; contribuição dos freis capuchinhos na educação de filhos de colonos italianos do Rio Grande do Sul, 1950-1970” é o relato de um grupo de 15 ex-seminaristas e de frei Antoninho Pasqualon, filhos de colonos, em sua quase totalidade descendentes de imigrantes italianos, que ingressaram no seminário da Província dos freis capuchinhos em 1953. É importante salientar que o texto contou sempre com a colaboração das esposas, que ativamente participaram de sua construção. O livro compõe-se de três capítulos. No primeiro, “Na sociedade dos colonos”, descrevemos a trajetória dos imigrantes que, partindo da Itália, organizaram suas vidas nas colônias, criando comunidades e estruturando famílias profundamente marcadas por sua religiosidade e para as quais ter um filho sacerdote representava uma honra e um privilégio, assim como a oportunidade única para estudar para além dos limites das escolas unidocentes das comunidades. O segundo capítulo narra a profunda mudança operada na vida desses filhos de colonos a partir do momento em que ingressaram na “Sociedade dos capuchinhos”, seja no modo de vida marcado por uma sacralidade onipresente e por um sistema de regulação da vida cotidiana que determinava os “bons e os maus comportamentos”, seja na longa trajetória de educação que se prolongou do Ensino Primário aos cursos Superiores de Filosofia e Teologia. O terceiro capítulo compreende o conjunto dos relatos individuais após o término dos estudos no seminário, as trajetórias seguidas por frei Antoninho, o único do grupo que se ordenou sacerdote, e pelos demais que se inseriram no universo diversificado da sociedade, não mais a de colonos, mas de uma sociedade que passara por profundas transformações sociais, econômicas e políticas. “Legado Franciscano; contribuição dos freis capuchos na educação de filhos de colonos italianos do rio Grande do Sul, 1950-1970” pode ser lido como uma “micro-história” da educação num período em que o acesso ao Ensino Fundamental completo, Médio e Superior era um privilégio reservado às frações mais abastadas da sociedade. A Igreja Católica, por intermédio de seus seminários, ainda era a única oportunidade de acesso ao Ensino Fundamental, médio e Superior para uma parcela significativa de filhos de colonos. De um ponto de vista histórico, é importante salientar que a “sociedade dos colonos” e a “sociedade dos capuchinhos”, tal como nelas vivemos e aqui descrevemos, não mais existem, transformadas que foram pelos movimentos de renovação e aggiornamento da Igreja Católica, e transformações pelas quais passou a sociedade brasileira, que erradicaram as antigas estruturas originárias da ocupação colonial por imigrantes europeus de parcelas significativas do território do Rio Grande do Sul.

Parte 1

Parte 2